.mais sobre o GFACR

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Batata Quente - Bernardo ...

. Corridas Com Cheiro a Sam...

. Batata Quente - Alberto C...

. Batata Quente -César Nova...

. Batata Quente - Bernardo ...

. Batata Quente - Luís Palh...

. Batata Quente - Tiago Rib...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Guilherme...

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Novembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds

Sexta-feira, 9 de Dezembro de 2005

Batata Quente - Francisco Calado

Nesta batata quente que me veio parar às mãos vou falar sobre o novo momento que o Grupo está a passar. Momento este que é uma preparação para a mudança de Cabo. Esta encontra-se numa fase bastante prematura para o novo Cabo e também para todo o Grupo. Embora os elementos do Grupo possam pensar que ao ser anunciado o novo Cabo o processo terminou e bem, pois a aceitação é natural, temos que pensar que agora é que começa o nosso (de todos) trabalho de ajuda para formar o Grupo dos próximos anos.

Isto tem a haver com a atitude activa que devemos ter para conseguirmos transmitir as nossa necessidades tanto a mim como ao Vinhais, para que em conjunto se possa conversar e ir ao longo do tempo transmitindo o conhecimento necessário ao futuro Cabo. Temos que ter consciência que o futuro do Grupo passa por todos nós com capacidade de resolver todos os problemas dentro e fora de praça, que por vezes é onde se pegam os maiores Toiros da vida.


Neste aspecto sei que o Grupo tem maturidade para saber transmitir o rumo que quer seguir, e esse só pode ser o de termos a postura correcta perante as adversidades que nos são apresentadas ao longo da vida, de forma a que no futuro as pessoas que venham a ingressar no Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha possam olhar para o nosso Símbolo e compreendam a palavra “VERDADE” e olhem para ela de uma forma como nunca se tinham apercebido na sua vida, tal como a AMIZADE, SOLIDARIEDADE e LEALDADE, palavras que fazem parte da nossa Carta Nobre.


Não só estas pessoas que eventualmente poderão entrar no Grupo, mas sim todas aquelas que ao longo dos anos se dedicaram a este projecto e o ajudaram a formar, com mais ou menos sacrifício. Temos no entanto que entender que um Grupo formado por cerca de 40 pessoas é muito dinâmico na sua forma de encarar o momento actual em que vive, e como tal também nós (e falo assim pois dentro de algum tempo estarei dentro deste grupo) temos, com todas as dificuldades que daí possam advir adaptarmo-nos aos diferentes momentos e mentalidades pelas quais o Grupo vai passando. Não podemos permitir é que ele se desvie dos seus princípios e esses estão bem visíveis e ao alcance de todos, no nosso Símbolo e na nossa Carta Nobre, que envio no fim do texto, pois acho que é muito bom de vez em quando dar-mos uma leitura neste texto que deve ser a forma de estarmos no mundo dos Toiros.


No que diz respeito ao Vinhais ele é um exemplo da vida do nosso Grupo, apresentando todas as características que fazem dele um bom líder, sendo no entanto necessário da parte de todos os elementos o seu contributo para o ajudar a formar o caminho certo. Isto porque nem sempre as decisões de um Cabo são compreendidas, mas têm que ser aceites pois num universo de muitas pessoas, todos nós somos diferentes a reagir aos estímulos que nos são transmitidos do exterior e isso leva-nos, por vezes, a receber a lógica das outras pessoas como algo que não é a nossa própria forma de analisar as situações. No entanto ao fazermos parte de uma Associação como o nosso Grupo somos levados a abrir o nosso pensamento para uma outra realidade que é a colectiva e não a individual, podendo esta pequena diferença ditar a mudança do nosso pensamento.


É sobre este parágrafo anterior que passam muitas das decisões de um Cabo ao longo da vida de um Grupo como o nosso. Parte destas decisões podem não ir de encontro a muitas opiniões, mas no entanto num Grupo também existe aquilo que se chama de “Sentido de Grupo” e este está obviamente acima de toda e qualquer vontade pessoal.


É com o conhecimento deste “Sentido de Grupo”, que é colectivo e individual, que nós marcamos muita diferença e o nosso futuro Cabo vai mostrar a sua personalidade com toda a capacidade e noção de Grupo que tem, mostrando que é uma pessoa que procura o interesse colectivo, acima de qualquer interesse individual!


Segue agora a Carta Nobre do Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha, que podemos aproveitar para uma leitura e ter sempre presente estes nossos Princípios:



Carta Nobre do Grupo de Forcados


Amadores de Caldas da Rainha


"O Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha é uma instituição que tem por objectivo:


 • O enriquecimento e desenvolvimento da personalidade de cada um dos seus elementos, nomeadamente da coragem pessoal, determinação e autoconfiança.


• O enriquecimento e desenvolvimento do carácter de cada um dos seus elementos, designadamente cultivando os princípios que sustentam as relações de amizade. A amizade é entendida como um sentimento que se cultiva livremente no respeito mútuo e que se fortalece na vivência da Solidariedade, Lealdade e Verdade entre as pessoas.


• A realização e vivência do Espírito de Grupo, o qual se traduz:


• Na coesão do grupo;


• Νa defesa da identidade, autonomia e independência do grupo em relação a qualquer outra instituição;


• Na procura e defesa do interesse colectivo.


• O cultivar e desenvolver de um ambiente de diversão e bem-estar.


 • Α defesa do património cultural português representado na instituição que é a corrida de toiros à portuguesa, assim como da sua autenticidade.


 • Aperfeiçoar a arte de pegar toiros.


 Os princípios acima enunciados inspiram-se numa visão cristã do homem e do mundo."


Por fim tenho que passar esta batata ao Vinhais pois ele neste momento tem com certeza algumas coisas que gostaria de transmitir a todos nós e por vezes é na escrita que as conseguimos dizer, outras é nos discursos.


O discurso já o fez, agora aqui vai esta Batata com todo o espaço que quiseres para nos transmitires aquilo que entenderes. Um grande abraço Vinhais.


Um Grande abraço para todos, não pago as duas garrafas de Whisky, mas num destes jantares pago uma com todo o gosto (também não é má ideia quem escrever oferecer uma garrafa, obviamente que isto ponha em cheque quem já escreveu, mas ficaríamos todos à espera das atitudes, aí é que os jantares iam ser bem “saboreados”).

publicado por cid às 10:21

link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De Gonalo Guimares a 14 de Dezembro de 2005 às 21:58
Apesar de integrar este nobre grupo de amigos há muito pouco tempo, sinto-me já como parte dele. Vivo, por isso, tudo aquilo a que a ele diz respeito. Desde que entrei, a convite do meu primo, tenho-o a si Francisco como exemplo de forcado que pretendo atingir. Embora não o conheça há muito tempo quero agradecer-lhe o facto de me ter aceite e me ter ajudado a integrar o Grupo. Quero agradecer-lhe também o facto de partilhar com todos o profundo sentimento que advém da sua decisão e que nos afecta a todos. Unidos seremos sempre mais fortes. Grande abraço
De Santa Marta a 13 de Dezembro de 2005 às 18:23
Francisco, é isso mesmo. Do teu texto só tenho a dizer uma coisa, um cabo é como um ditador, temos que aceitar qualquer que seja a opinião deste. No caso de não concordarmos com alguma atitude temos a obrigação de irmos falar com ele e exprimir a nossa opinião, mas uma conversa a dois. Um abraço
De Cid a 12 de Dezembro de 2005 às 11:56
Cabo. É isso mesmo. Tudo o que disseste é bem dito e mto importante para levar o GRUPO DAS CALDAS para diante... Conversar, conviver, pegar e tudo o k daí resulta é a fórmula para vingar na vida. Que o nosso grupo é especial, todos sabemos. Vamos é continuar a mostrar que o sabemos fazer como ninguém e sempre de frente... Grande abraço!!
De Carlos Sequeira a 11 de Dezembro de 2005 às 15:37
Francisco, parabéns porque foste muito feliz com o tema que abordaste. No entanto os teus receios, são legítimos de quem teve e tem, a responsabilidade de dirigir. Quanto ao futuro, e usando a tua expressão “o Grupo tem maturidade suficiente para saber qual é o rumo que quer seguir” assim, estou certo que o sentido de grupo imperará sempre sobre o individual em sinal do que tem sido e vem a ser os ditames do nosso Grupo. Em relação ao repto que lançaste (garrafa de Whisky) estou perfeitamente de acordo e posso ser já o primeiro(depois de ti, claro). Um grande abraço.
De Miranda a 11 de Dezembro de 2005 às 03:26
Francisco, um grande texto como de resto seria de esperar de ti... Acho que passaste muito bem por palavras aquela que é a visão que o Grupo deve ter e que tu ao longo dos anos tens sabido demonstrar da forma mais dificil, com acções.. São palavras de um grande líder de homens e acima de tudo de alguém que muito gosta do Grupo... Só a conversa das garrafas é que não sei se me agrada muito.. Se vou ter de pagar uma garrafa de whisky por cada vez que escrevo no blog vou à falência!!!
De Frederico Casimiro a 9 de Dezembro de 2005 às 21:35
Francisco, um grande abraço e parabéns pelo texto pois acho que tudo aquilo que disseste tem extrema importância tanto no passado como para o futuro do grupo. Em relação ás garrafas eu alinho no teu repto, esperando que outros o façam...
De scar Carvalho a 9 de Dezembro de 2005 às 15:29
Grande Francisco, está um belo texto, é verdade que cada um de nós terá que se empenhar e dedicar mais ao Grupo quer nesta quer em todas as fases. É sempre importante e nunca é demais publicar a Carta Nobre. Um abraço e venha de lá essas garrafas.
De Nuno Vinhais a 9 de Dezembro de 2005 às 13:44
Grande Francisco, está um texto muito bem conseguido. É bom passar a mensagem que o Grupo, não só neste momento, precisa da ajuda de todos e que só desta maneira o Grupo pode atingir o sucesso. Como Cabo do Grupo sabes isso melhor do que ninguem!
Gerir emoções de 40 pessoas não deve ser nada fácil, mas com paixão e tranquilidade tudo se consegue...
Grande abraço
De Bernardo Alonso a 9 de Dezembro de 2005 às 11:49
Grande Kiko, gostei do teu texto, creio que as linhas de orientação do grupo estão bem delineadas. Vai abrir-se um novo ciclo no grupo, mas concerteza que será muito positivo para todos, mas terá que ser um "esforço" colectivo.
Agora em ralação às GARRAFAS acho bem que pagues ehehehe E TU DANI PAGAS PELA BOCA!!!!!!
De Daniel Pedro a 9 de Dezembro de 2005 às 11:39
Grande Kiko, escreveste um optimo texto no seguimento do que o grupo vive neste momento e mostraste que agora é que começa realmente o trabalho de todos em ajudar o futuro cabo para que a sucessão seja feita de uma forma normal e gradual. A carta nobre é no fundo a nossa maneira de viver e de ver o mundo e fizeste muito bem em publicá-la novamente!Venha lá essa garrafa que eu quando escrever também ofereço uma!!! Grande abraço

Comentar post