.mais sobre o GFACR

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Batata Quente - Bernardo ...

. Corridas Com Cheiro a Sam...

. Batata Quente - Alberto C...

. Batata Quente -César Nova...

. Batata Quente - Bernardo ...

. Batata Quente - Luís Palh...

. Batata Quente - Tiago Rib...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Guilherme...

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Novembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quinta-feira, 10 de Novembro de 2005

Batata Quente - Carlos Sequeira

 Caros amigos,

Começo por felicitar os mentores deste “blog”, pelo facto de terem criado um espaço de interacção, em que podemos expressar os nossos sentimentos e experiências comuns, à volta de um tema que tanto nos apaixona que é o nosso Grupo.


Aproveito também, para agradecer ao Nuno Morgado as palavras simpáticas que me dirigiu, na sua sapiente dissertação, como já vem sendo seu apanágio.


De uma forma muito sucinta, permitam-me tecer algumas considerações, sobre duas vivências recentes, que tocaram-me em especial, nesta temporada que acabou de findar.


O G.F.A.C.R., apesar da sua tenra idade (pouco mais de uma dúzia de anos), cedo se tornou num Grupo sério e exigente.


A comprová-lo passo a citar entre outras, duas verdades, que por mais que se queiram escamotear são incontestáveis – A distribuição da brochura intitulada “A relação entre o Público, a Festa e os Forcados”, e o modo como o Grupo respondeu às sérias lesões de que foi alvo nesta temporada.


A primeira verdade só por si é demonstrativa de como o G.F.A.C.R., é um Grupo sério e exigente, a comprová-lo, foi o facto de ter presenteado os aficionados com um documento inédito, cujo teor revela um eruditismo acima da média, e ainda, altamente esclarecedor de como o Grupo age e vê a Festa.


A segunda verdade tem haver com as lesões que assolaram o Grupo na temporada passada, e que irão ficar na memória de todos nós, como uma temporada fortemente fustigada no que lhe diz respeito.


Todos nós ao longo da época passada, por momentos receámos o facto do G.F.A.C.R., ir ficando privado daqueles que são a sua “espinha dorsal”.


No entanto, este mal acabou por destapar a enorme maturidade do seu colectivo, desfalcados de alguns dos seus principais elementos, os restantes, assessorados por alguns dos elementos mais novos, que embebidos dos princípios basilares que regem o Grupo, dignificaram com enorme galhardia e dignidade a jaqueta do G.F.A.C.R., tanto nas corridas agendadas, como ainda naquelas que se vieram agendar na parte final da temporada.


São dois exemplos escolhidos, entre muitos outros que poderia enumerar, mas só por si demonstrativo de que o sucesso não é fruto do acaso, mas sim consequência de um trabalho árduo, persistente e acima de tudo sério, que só é alcançado porque o G.F.A.C.R., é composto por um conjunto de indivíduos, que pela sua estirpe, fazem dele um exemplo de singularidade.


Por tudo isto e por muito mais que ficou por dizer, como amigo, aficionado e caldense, resta-me desejar um bem-haja ao Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha.


Por último, dirijo-me, aquele que sempre acreditou neste projecto, e que sem ele o G.F.A.C.R., nunca tinha feito história, passo a “Batata Quente” ao nosso grande amigo, e 1º Cabo do Grupo - Vasco Morgado.

publicado por cid às 16:44

link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De intrusa a 15 de Novembro de 2005 às 19:53
Tem razão, paraquedista (comentário acima).
Para isto ser mesmo um blog precisava de trazer "ao comentário" mais matéria. Eu diria mesmo, outras questões que não fossem exclusivamente as umbilicais (muito louváveis) mas que se ficam pelo circuito interno, e aí morrem (passe o termo, pois sei que vivem noutra dimensão que é a do clã).
Provavelmente, é assim que se sentem todos bem, não nego.
Mas vão pensando nisso...
Dá trabalho. pois dá! Mas a imaginação ajuda, quando se quer.
- Se alargassem o circuito de alimentação do sistema e ligassem à tomada de terra, aí, sim, tornavam isto numa coisa animada e apelativa para quem vem ler e agora não se sente tentado a entrar na casa dos outros. Simples questão de educação...
Da partcipação externa podem nascer as maiores ideias e correntes de apoio.
Claro, como em todos os blogs, alguém teria de criar os motes e depois vir de vez em quando apagar alguns comments de gente menos própria. Isso faz parte!
Que tal chamarem aos comentários "picardias"? Ou "pegas"?
Vejam noutros blogs (no Blasfémias, são as ''heresias''; no Jaquinzinhos, os ''jaquinzinhos comidos'', etc.
Aqui fica a provocação...
De Nuno Serrenho a 15 de Novembro de 2005 às 11:31
Grande Sequeira,
Gostaria de agradecer a forma empenhada e desinteressada como ajudas o nosso Grupo, és para mim um exemplo de saber ser e estar como elemento do GFACR.

Grande Abraço á família Sequeira. Nuno Serrenho
De paraquedista a 14 de Novembro de 2005 às 20:07
Aceitam uma "achega"? E se vocês ilustrassem estes artigos com imagens relacionadas com as lides dos touros e tudo o que diga respeito a essa "arte", penso que daria um ar muito interessante ao vosso blog. Boa sorte
De Nuno Morgado a 14 de Novembro de 2005 às 19:44
Grande Sequeira,

Agradeço as tuas palavras amigas e a tua ajuda continua ao nosso Grupo. Pelo modo como sentes o Grupo, se não fossem uns aninhos a mais...
Mas recordo aqui as tuas palavras cheias de sentido mais uma vez faço questão de lembrar: há muitas maneiras de ajudar a pegar toiros.
Oxalá tenhamos sempre muitos amigos do Grupo como elementos efectivos como temos o Carlos Sequeira.
Grande abraço,

Nuno Morgado
De Joo Santa Marta a 14 de Novembro de 2005 às 15:33
Grande Camané;
É com grande alegria que leio a tua "batata quente", mas não deves ser tu a agradecer ao Grupo mas o Grupo é que agradece a pessoa que és para connosco. Um grande abraço
De Francisco Calado a 11 de Novembro de 2005 às 19:23
Bom texto Camané, gostava de agradecer o teu contributo em todas as etapas da vida do Grupo, e inclusivamente nesta nova faceta de cronista. não quero tornar isto publico, mas aqui entre nós que tal começares( como elemento imparcial) a escrever umas reportagens (coisa pouca) para as nossas publicações locais, "Gazeta das Caldas", etc.
É uma ideia que fica, claro que sem pressão nenhuma!!!, visto ser um comentário entre os dois.
Um abraço
De Miranda a 11 de Novembro de 2005 às 15:43
Grande Camané, como muito bem disse o Dani é uma pessoa que, apesar de não ser um forcado do Grupo, compreende perfeitamente os valores do GFACR e esteve sempre disponível para nos ajudar... Bonitas palavras que também o isentam da responsabilidade das garrafas de whisky...
De Daniel Pedro a 11 de Novembro de 2005 às 10:47
Grande Camané, como o Vinhais já disse, nunca é demais agradecer toda a ajuda e amizade que presta ao nosso grupo! Estas palavras são reflexo de um entendimento pleno da mentalidade do grupo. Abraço
De Nuno Vinhais a 11 de Novembro de 2005 às 02:28
Caro Camané, agradeco a ajuda desinteressada que sempre deste ao nosso Grupo e acima de tudo agradeco a amizade que tens pelo GFACR!
Grande abraço

Comentar post