.mais sobre o GFACR

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Batata Quente - Bernardo ...

. Corridas Com Cheiro a Sam...

. Batata Quente - Alberto C...

. Batata Quente -César Nova...

. Batata Quente - Bernardo ...

. Batata Quente - Luís Palh...

. Batata Quente - Tiago Rib...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Guilherme...

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Novembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds

Sexta-feira, 5 de Agosto de 2005

Sempre a andar..

O mês de Agosto é tradicionalmente o mês das corridas de toiros em Portugal por isso nesta altura do ano pouco tempo separa uma corrida da outra.


Para o GFACR o mês de Agosto começou brilhantemente com um triunfo fenomenal em Espanha, na praça de toiros de Plasencia e segue agora com duas corridas nas Caldas da Raínha (a 7 de Agosto - Corrida TVI de Homenagem à Mulher e 15 de Agosto - Grande Corrida das Caldas da Raínha e Aniversário do GFACR), outra na Nazaré (20 de Agosto) e depois perto de Mafra (28 de Agosto).


Esta maior agitação em termos de número de corridas dá ao Grupo não só uma maior rodagem e toiros para pegar (que é exactamente aquilo que queremos..) mas também muito pouco tempo para saborearmos os êxitos que o Grupo vai tendo e prepararmo-nos para as corridas seguintes.


De facto a corrida de Plasencia, com os toiros desembolados, foi de extrema responsabilidade mas à qual o Grupo correspondeu de forma extraordinária e o resultado foram 3 belas pegas à 1ª tentativa e um enome triunfo por terras espanholas.


Em relação a esta corrida é importante referir que o rejoneio é uma forma de toureio que não se adapta tão bem à pega como o toureio a cavalo à portuguesa, como foi aliás evidente nesse dia.


A utlização de rojões exterioriza mais a bravura do toiro mas rouba-lhe alguma mobilidade e ao fazê-lo permite que o cavaleiro se "proteja" de um toiro pior toureando de longe e sem consequência ou então, se este se "arrimar" face ao toiro, que o esgote quase por completo.


Aquilo que foi possível ver em Plasencia, com três cavaleiros com estilos totalmente diferentes, revelou-se na prática em três toiros com comportamentos totalmente distintos no momento da pega, mas que o GFACR soube interpretar da melhor forma e resolver com arte, técnica e coragem.


De destacar a pega de Òscar Carvalho ao quinto da ordem (com 575 kg), toiro bravo e com muito poder, que entrou bem pelo grupo e deu ao forcado a melhor pega da noite.


Nota também de parabéns para os elementos mais novos que se fardaram pela primeira vez e os votos de melhoras para o forcado Nuno Vinhais que se lesionou no braço ao ajudar o último toiro da noite.

publicado por cid às 17:43

link do post | comentar | favorito
|