.mais sobre o GFACR

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Batata Quente - Bernardo ...

. Corridas Com Cheiro a Sam...

. Batata Quente - Alberto C...

. Batata Quente -César Nova...

. Batata Quente - Bernardo ...

. Batata Quente - Luís Palh...

. Batata Quente - Tiago Rib...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Guilherme...

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Novembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quinta-feira, 19 de Maio de 2005

Carta Nobre do Grupo de Forcados Amadores de Caldas da Rainha

O grupo de forcados amadores de Caldas da Rainha é uma instituição que tem por objectivo:

- O enriquecimento e desenvolvimento da personalidade de cada um dos seus elementos, nomeadamente da coragem pessoal, determinação e autoconfiança.

- O enriquecimento e desenvolvimento do carácter de cada um dos seus elementos, designadamente cultivando os princípios que sustentam as relações de amizade. A amizade é entendida como um sentimento que se cultiva livremente no respeito mútuo e que se fortalece na vivência da solidariedade, lealdade e verdade entre as pessoas.

- A realização e vivência do espírito de grupo, o qual se traduz:
- Na coesão de grupo.
- Na defesa da identidade, autonomia e independência do grupo em relação a qualquer outra instituição.
- Na procura e defesa do interesse colectivo.

- O cultivar e desenvolver de um ambiente de diversão e bem estar.

- A defesa do património cultural português representado na instituição que é a corrida de toiros à portuguesa, assim como da sua autenticidade.

- Aperfeiçoar a arte de pegar toiros.

Os princípios acima enunciados inspiram-se numa visão cristã do homem e do mundo.
publicado por cid às 16:17

link do post | comentar | favorito
|