.mais sobre o GFACR

.pesquisar

 

.Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Batata Quente - Bernardo ...

. Corridas Com Cheiro a Sam...

. Batata Quente - Alberto C...

. Batata Quente -César Nova...

. Batata Quente - Bernardo ...

. Batata Quente - Luís Palh...

. Batata Quente - Tiago Rib...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Francisco...

. Batata Quente - Guilherme...

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Agosto 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Novembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds

Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008

Batata Quente - Mário Cardeira

Agradeço desde já ao José Sousa Dias (Zé nights) a oportunidade de me agarrar a esta  Batata.
Quando pensei em ir para o grande G.F.A.C.R não pensava que o grupo funciona-se da maneira como funciona. Pensava eu que, funcionasse como a equipa em que jogo rugby, que consiste em ir aos treinos e aos jogos neste caso ir as corridas e pouco mais se passa para além disso. Mas quando realmente integrei no Grupo das Caldas no qual fui bastante bem recebido, percebi que o Grupo não funcionava como eu pensava.
Comecei passado de algum tempo “não muito pois sou dos elementos mais novos” por adquirir novos conceitos. Conceitos esses que me fizeram crescer quanto pessoa. Um dos deles é a amizade. Quando entrei para o Grupo tinha um conceito totalmente diferente de amizade. Adquirido este novo conceito pensei para mim “isto sim são amigos” nunca tinha visto tal amizade por alguém se não para com a família. Graças a este conceito de amizade me sinto bastante bem integrado neste grande grupo de amigos.
Outro dos conceitos que mudei foi o medo. Pensa que ter medo era ser “mariquinhas”. Mas o meu conceito de medo mudou, e passei a encarar o medo como uma forma responsável de encarar diversas situações neste caso os toiros. Afinal eu tenho medo dos toiros e graças a este conceito aprendi a respeitar e a encarar de uma forma responsável os toiros. Pois quem diz que não tem medo penso eu que seja inconsciente. Este medo responsável a mim da me uma grande vontade de Pegar toiros.
È com muito orgulho que pertenço ao Grupo das Caldas, pois já passei óptimos momentos dentro dele, e como um dos elementos mais novos espero continuar a ter grandes momentos e contribuir para a evolução do grupo.
A Batata vai para um grande amigo que tenho a certeza que vamos todos gostar de ler umas palavrinhas suas.
Tamagotchi a Batata e tua!
Abraços a todos
Mário Cardeira
publicado por osmaioresdisparates às 21:49

link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres